Resultados da busca no mês Jul, 2009



Olá, pessoal.

Conversamos esta semana com uma menina muito legal, chamada Maria Luíza, a Malú. Ela tem 8 anos, mora e estuda em Lorena (SP).  Está passando alguns dias em São Paulo, na casa da vovó, e nos ensinou algumas das brincadeiras que mais gosta de brincar nos recreios, com seus amigos.

E ainda nos contou um segredo: “as melhores brincadeiras são aquelas sem muitas coisas”, como objetos, bolas, etc. “O recreio é muito curto!”, disse ela.

A brincadeira COM QUE SERÁ foi ela que nos ensinou. É uma brincadeira de mão com uma adivinhação no final. Brinca-se em dupla, cantando assim:

Com quem?
Com quem será?
Que a [...]
Vai se casar?

Loiro, moreno
Careca, cabeludo
Rei, capitão
Polícia, ladrão!

Estrelinha, estrelinha
Do meu coração!

Na estrofe final, da estrelinha, as crianças cantam com as mãos fechadas. Ao dizer “coração!”, cada uma mostra um número com os dedos, como se fosse um jogo de par ou ímpar.

Depois, elas vão dando nomes aos dedos de “loiro, moreno, careca, cabeludo…” até o último, que será o jeito do marido com quem a pessoa escolhida vai se casar.

Importante: as frases da 1ª estrofe encerra-se sempre com 3 palmas rápidas:

Com quem (pa-pa-pa)
Com quem será (pa-pa-pa)…

E aí, gostaram?

Nos próximos posts, traremos mais brincadeiras legais que a Malú ensinou.

Olá, pessoal.

Hoje vamos brincar de Corre cotia. É uma brincadeira de pega-pega em forma de ciranda. As crianças adoram. Até mesmo as pequenas, de 5 ou 6 anos, conseguem brincar.

Para começar, vamos precisar de um lenço ou um pedaço de pano. Brinca-se assim:

1. As crianças formam uma roda e sentam no chão, menos uma.

2. A criança que sobrou corre pelo lado de fora da roda com o lenço na mão, ao ritmo da ciranda:

Corre cotia
Na casa da tia
Corre cipó
Na casa da avó

Lencinho na mão
Caiu no chão
Moça(o) bonita(o) do meu coração

Criança: Posso jogar?
Roda: Pode!
Criança: Ninguém vai olhar?
Roda: Não!

3. Neste momento, as crianças da roda abaixam a cabeça e tapam os olhos com as mãos. A criança que está fora da roda deixa cair o lencinho atrás de alguma outra que esteja sentada. Quando esta perceber, começa o pega-pega entre as duas. Quem está com o lenço é o pegador. O lugar vazio da roda é o pique.

4. Quem perder, fica fora da roda (ou dentro) e a brincadeira recomeça.

Corre cotia é uma brincadeira que praticamente todo mundo conhece ou já brincou um dia. Naturalmente, em cada lugar, as crianças cantam a ciranda de um modo diferente. Um jeito mais bonito que o outro:

Corre cotia, de noite e de dia
Debaixo da cama, da sua tia…

Às vezes, cantam:

Lencinho branco caiu no chão…

É isso. Boa diversão!

Leia também:

Jovens voluntários nas aulas de informáticaA professora de educação física Giane Gonçalves de Sales Falseti, da EE Ephigênia Cardoso Fortunato, localizada na cidade de Bariri (a 330 km de São Paulo), conheceu o Projeto Decolar, durante uma premiação em Brasília, e se encantou com a proposta.

A educadora, que já desenvolvia desde 2007 o projeto “Quem acredita sempre alcança” com foco na inclusão de pessoas deficientes, decidiu expandir a proposta e convidar seus alunos a se envolverem também numa ação voluntária.

Neste ano, 33 alunos do Ensino Médio da escola passaram a desenvolver atividades junto aos jovens atendidos pela APAE da cidade. Todas as semanas, na entidade, os alunos promovem atividades de recreação, como jogos, gincanas e festas. Além disso, os alunos da APAE participam de aulas de informática desenvolvidas na escola Ephigênia oferecidas pelos voluntários.

Agora, os jovens estão envolvidos na elaboração de uma campanha para a arrecadação de computadores a fim de montarem uma sala de informática também na APAE.

Segundo Giane, os resultados do projeto já são diversos. “Os jovens estão mudando de postura. Estão mais preocupados uns com os outros. Outro dia, por exemplo, um aluno me disse que agora não vê mais diferença entre eles”, conta a professora, destacando que, a cada dia, são descobertos novos aprendizados. “Isso me dá energia para continuar. Estou aprendendo muito também”.

A professora convida a todos os jovens do Projeto Decolar a conhecerem mais de perto a proposta e mandarem seus recados para os colegas voluntários. Para isso, basta acessar o blog do projeto: quemacreditaephigenia.blogspot.com. Participem!

Olá, pessoal.

Adoleta é um tipo de brincadeira de mão que as crianças apreciam muito. Pode-se brincar em duplas ou em roda, cantando os seguistes versos:

A-do-le-tá
Lepeti
Peti
Polá

Lê café com chocolá
A-do-le-tá

Puxa o rabo do tatu
Quando quem saiu foi tu

Puxa o rabo da cutia
Quando sai a sua tia

Quando um ganha o outro perde
Não adianta disfarçar

E tem que ficar ligado
Quando a música parar.

Brincado em duplas
Sentadas, uma em frente à outra, as crianças cantam os versos, batendo as palmas da mão, em movimentos ritmados, em velocidade sempre crescente.

Brincado em roda
Sentadas em roda, com as mãos viradas para cima, as crianças cantam os versos, batendo na mão do colega ao lado. No verso final, a criança que receber ou a que errar a palmada sai.

Na brincadeira em duplas, o que está em jogo é a habilidade motora. Em roda, há o desafio da atenção.

Há um aspecto bastante curioso sobre esta brincadeira sugerido pelo site do Instituto Faber-Ludens. O uso da expressão “le petit” ou “a criança”, em francês, e de palavras em português imitando uma pronúncia afrancesada sugerem que a origem da brincadeira possa ser alguma melodia infantil francesa.

Bem legal, não?

A nossa leitora Creusa (ver comentário abaixo) ensinou uma variação da parte final dessa brincadeira:

Puxa o rabo da cadela
Quem saiu foi ela

Puxa o rabo da cutia
Quem saiu foi tua tia

Puxa o rabo do dragão
Vou bater na sua mão

A-é-i-o-u!

Paaaaft!
“-Ai, doeu!”

E aí, você conhece alguma outra brincadeira de mão que as crianças gostem? Escreva para nós, no campo de comentário deste post.

Leia também:

Voluntárias Beatriz Paula Alcântara e Paloma Dias da Silva: Agentes do BrincarO Projeto Decolar promoveu ontem, dia 02 de julho, um encontro de encerramento das atividades deste semestre, com a participação dos voluntários itinerantes da Escola Estadual Hadla Feres e seus familiares. O encontro foi realizado na própria escola , uma das seis em que o projeto acontece.

A proposta foi apresentar aos pais os resultados da iniciativa, discutir as ações do próximo semestre e fazer a entrega dos certificados aos jovens.

Neste ano, cerca de 40 voluntários itinerantes e fixos, estudantes dos últimos anos do Ensino Fundamental e também do Ensino Médio, participam do projeto, promovendo atividades lúdicas e brincadeiras com crianças de 1ª a 4ª série, durante o horário de intervalo ou aos finais de semana nas escolas. Para desenvolver as ações, os jovens participaram de oficinas de capacitação sobre voluntariado e também ampliaram o seu repertório a respeito de brincadeiras infantis.

Voluntários itinerantes da Escola Hadla FeresEraldo Firmino, professor responsável por acompanhar os jovens nas atividades, destacou a contribuição dos jovens voluntários na promoção de melhorias nas escolas. “O projeto nos mostra a cada dia que é possível mudar algumas situações no ensino. E as escolas precisam de novas perspectivas para o seu trabalho”, ressaltou aos presentes.

Na opinião de Josilene Moreira da Silva, mãe da jovem Tamires Pereira Barboza, o envolvimento dos jovens em trabalhos voluntários é fundamental para a formação do caráter e identidade dos mesmos, principalmente pela possibilidade de convivência com outras pessoas. “A Tamires adora crianças e, com o projeto, se tornou mais comunicativa. Ela aproveitou bastante”.

Voluntária Tamires e a mãe JosileneAs atividades do Decolar serão retomadas no mês de agosto, após as férias escolares. E os jovens já fazem planos, como Patrícia Deodato da Silva, que espera poder colaborar com a diminuição da violência nas escolas, por meio das atividades. “É muito gratificante poder ajudar. Afinal, todos dizem que as crianças são o futuro, não são?”, ressaltou a jovem, que está motivada a conquistar bons resultados com o trabalho.